Bavária – Muito mais do que a Terra da Cerveja

Freistaat Bayern
A Bavária é sem dúvida alguma uma das regiões mais fascinantes do mundo. Imagine um lugar com paisagens naturais extraordinárias, montanhas alpinas, densas e misteriosas florestas, suntuosos lagos e o grande rio Danúbio, artéria da Europa Central.  Complemente esse cenário com cidades e ruínas de até 2 mil anos, castelos, igrejas, fortificações e monumentos históricos únicos.
Um dos mais antigos reinos da Europa, repleto de lendas, de florestas encantadas e de reis visionários. Acrescente um elevado desenvolvimento econômico, ambiental e social. Vida urbana pulsante e moderna e um interior clássico, rural, bucólico mas completamente preparado para a recepção de milhões de visitantes. Uma culinária única, vigorosa e marcante. Mas especialmente um povo alegre, dinâmico  e orgulhoso de suas tradições.
Essa é a incrível Bavária, onde tive o privilégio de estar nos últimos 16 dias, realizando um curso de Estratégias de Mediação de Conflitos Ambientais e, entre uma atividade e outra , conhecendo um pouco da cultura bávara a qual compartilho nesse blog.

Orgulho Bávaro
Geograficamente qualquer criança sabe que a Bavária é uma importante região do sul da Alemanha. 
Não para os Bávaros. Para eles a Bavária vem antes e está acima da Alemanha. 
E se observarmos bem eles têm razão: organizada sob a forma de um estado livre a Bavaria possui mais autonomia em relação ao governo central em Berlim do que o Paraguay em relação a Brasília
Esse invejável orgulho regional faz com que a cultura bávara seja única e que cada bávaro ame e viva as suas tradições. E a amalgama da alma bávara é a cerveja. Dona do maior consumo mundial de cerveja per capita do mundo, incríveis 200 litros/ano, é presença certa em toda e qualquer refeição ou celebração. 
E aqui cabe um parênteses: apesar do consumo elevado é impossível ligar esse costume bávaro à qualquer dos muitos aspectos negativos do consumo do álcool. A sua festa máxima, a oktoberfest, é uma festa essencialmente familiar e se existem alguns abusos sao protagonizados por turistas estrangeiros, especialmente italianos e brasileiros.

Visitando a Bavária
Para falar de turismo na Bavária seria preciso criar um blog só para isso! (rs)
Como não é essa a intenção vou citar apenas alguns dos meus lugares prediletos e que sejam “off the beaten track”.
– O Lago Königssee e a Igreja de São Bartolomeu 
– A Allianz Arena em um jogo do Bayern München
– O Parque Natural de Altmühltal
– O Vale de Tegnersee 
– A Cidade de Neuburg às margens do Danúbio
– Abadia Beneditina de Weltenburg

Das Bier
Como o nosso negócio é cerveja, vamos à ela! A Bavária é a terra da cerveja.
Terra da Reinheitsgebot, a lei da pureza editada pelo Duque Wilhem IV em 1516 e que até hoje é regra intocável. 
Terra da Oktoberfest, maior festival mundial da cerveja, e que esse escriba teve o prazer de participar pela segunda vez. Terra das cervejas de trigo e das helles. 
De Munique a Nuremberg, de Bamberg a Passau, de Augsburg a Ingolstad … a Bavária vive e respira cerveja.  Cada pequena aldeia, cada vila, cada bairro possui sua cervejaria. E o que impressiona é o padrão de qualidade seja pelas gigantes de Munich seja pelas pequenas cervejarias rurais. 
Quatro estilos dominam a cena: weizenbier e dunkelweizen; e helles e dunkle. As duas primeiras, cervejas de trigo, são realmente inigualáveis em qualquer parte do mundo. Não é à toa que eles consomem 200 litros pessoa/ano.

A cerveja é tão importante na Bavária que até os refrescos são feitos de cerveja. Surgem então dois novos estilos: Russ, uma weizenbier com posterior adição de limonada, e  Radler, uma helles com posterior adição de limonada. Em princípio podem parecer estranhos, não me agradaram particularmente, mas são bastante refrescantes.|
Ps: cerveja lá é mais barata do que refrigerante.

A Oktoberfest
A oktoberfest é um capítulo à parte na cultura bávara. Celebrada desde 1810 por ocasião do casamente entre o Rei Ludwig II e a Princesa Teresa da Saxônia, tinha como principal atrativo uma corrida de cavalos.De lá para cá cresceu e chegou a números impressionantes como os 6 milhões de visitantes e os 7 milhões de litros de cerveja vendidos. Apesar dessa vultuosidade é uma festa extremamente organizada e até mesmo familiar. É incrível a freqüência de famílias inteiras em um  clima de alegria e respeito. Os raros abusos, geralmente ocasionados por turistas estrangeiros, são silenciosa e rapidamente reprimidos pela segurança. Nos próximos dias estarei publicando uma série de avaliações das cervejas bávaras bem como da minha viagem pelos países Bálticos, Finlândia e Russia.
Ps: todos as fotos são de minha autoria, o que atesta, apesar da pouca habilidade fotográfica, que mesmo sem montagens as paisagens são deslumbrantes.

Recommended Posts

Leave a Comment