Hop Ottin’ IPA – 4,0

Revisitando essa notável IPA quase dois anos depois, percebo claramente a evolução continua do meu paladar. Talvez na primeira degustação eu não tenha dimensionado adequadamente a riqueza de sensações que essa cervejinha proporciona. Mas esse é um processo natural para quem se aventura nessa mundo das cervejas artesanais. Dois anos depois a riqueza de lúpulos dessa pequena maravilha em encantou ainda mais especialmente pela sua incrível persistência aromática. Definida pela cervejaria, em idioma boontling (veja abaixo), como “a mordida de uma cascavel procurando briga”. Definição perfeita para uma cerveja que tem lúpulo no DNA com potência e refrescância máximas.

País: Estados Unidos
Estilo: India Pale Ale
Quando beber: sede, muita sede
Harmonização: buffalo wings

Anderson Valley Brewing Co.
Fundada em 1987 em Boonville na Califórnia,  a cervejaria leva o nome da região que está localizada no condado de Mendocino . Na época existiam apenas 20 cervejarias artesanais em atividade nos Estados Unidos, o que fez da Anderson Valley uma das pioneiras na revolução. O símbolo é um curioso urso com galhadas de cervo, personagem mítico dos índios da região norte da Califórnia.
Uma das coisas mais interessantes da Anderson Valley é por utilizar nos seus rótulos o chamado idioma boontling. É um verdadeiro fenômeno pois é um dialeto unicamente falado em Anderson Valley que acrescenta ao inglês um mix de expressões em gaélico, espanhol e pomoan, língua dos nativos americanos. Em boontling a AVBC a define assim: “Hop Ottin’ bites like a can-kicky bluetail”. Ou seja, hop ottin´ morde como uma cascavel procurando briga”.

Avaliação  
Vertida apresentou um líquido âmbar intenso, completamente turvo e opaco. O creme apresentou-se denso e volumoso, com grande formação e persistência.
No aroma  começa a pancada lupulada. Lúpulo herbal, cítrico e floral. Mas aos poucos pode-se perceber um frutado que carrega um doce de malte.
No paladar segue a predominância dos lúpulos (herbais e cítricos) mas com uma discreta base maltada (mel) que acaba por equilibrar o conjunto.
O final é seco e muito amargo, daqueles que rasgam o palato. Essa sensação permanece no aftertaste que é intenso e persistente. Absurdamente marcante e refrescante.
Carbonatação média em um corpo perfeito. Altíssima drinkability!
www.avbc.com

 

Recommended Posts

Leave a Comment