Evil Twin Femme Fatale Noir – 4,1

femmefatalenoirEssa Femme Fatale Noir pertence à uma linha de american IPAs da Evil Twin produzidas 100% com leveduras brettanomyces, as leveduras selvagens da Bélgica. Aqui no blog já havia provado a Brett (a base da linha) e a Blanc (com lúpulo neo-zelandês Nelson Sauvin), ambas deliciosas e recomendadíssimas. Para essa Noir a atração é ver a interação entre as leveduras selvagens com a utilização de um perfil de maltes tostados fazendo dela uma Black Brett IPA (ou Cascadian Brett Black Ale). O resultado é uma deliciosa combinação de notas aromáticas que vai de percepções vinificadas, cítricas até chocolate amargo. Extremamente equilibrada demonstra o cuidado da cervejaria na utilização precisa das leveduras. Drinkability absurda!
_
País: Dinamarca
Estilo: Black Brett IPA
Quando beber: o melhor de 3 mundos: lúpulos americanos, maltes tostados e leveduras selvagens
Harmonização: foi perfeita companhia para um cordeiro assado com molho de hortelã
_
Evil Twin Brewing
Essa dinamarquesa está sempre presente no blog com suas cervejas extraordinárias.  É na verdade uma cervejaria cigana fundada e comandada por Jeppe Jarnit-Bjergsø. Quase como um exército de um homem só, Jeppe vem desde 2010 produzindo suas cervejas em instalações terceirizadas ao redor do mundo, inclusive no Brasil.  O que mais impressiona nas cervejas de Evil Twin é o nível de qualidade independente de onde sejam produzidas. Essa Black Brett IPA por exemplo foi produzida na Westbrook Brewing Co. na Carolina do Sul.
Avaliação  
Na taça apresentou um visual absolutamente incrível: um líquido negro, profundo, pouco brilhante com um creme bege claro, de grande formação, bastante denso, com bolhas evidentes, boa persistência e algumas rendas.
Aroma intenso e complexo. Lúpulos frescos com notas cítricas e resinosas muito bem acompanhadas por notas de chocolate amargo e algo de café. Com o crescer da temperatura notas vinificadas e de couro aparecem. Belo conjunto, intenso sem ser agressivo.
Na boca tem uma base de maltes tostados com chocolate amargo e quase nada de caramelo. Aos poucos notas frutadas (cítricas) aparecem combinadas à notas selvagens de vinho velho. O final é bastante seco com um bom amargor e algo de couro. Aftertaste trazendo notas cítricas, tostadas e um levíssimo funk. Corpo leve, carbonatação evidente e altíssima drinkability.
No conjunto uma brett IPA suave e comum equilíbrio perfeito. Não espere uma pancada mas uma sinfonia.
Recommended Posts

Leave a Comment