The Bruery White Oak – 4,5

Captura de Tela 2015-01-11 às 16.07.30A nova cara da revolução americana é mesmo sensacional. E a The Bruery é um dos expoentes nessa onde de experimentação de leveduras e bactérias com o sempre bem vindo diferencial da maturação em barris de carvalho. Olha que essa White Oak nem é categorizada entre as melhores da cervejaria mas mesmo assim me encantou profundamente. Baita cerveja. Na verdade um blend de duas cervejas: White Oak Sap (uma wheat-wine maturada em em barris de Bourbon) e Mischief (uma tradicional Belgian Strong Ale). O resultado é uma cerveja extremamente complexa com deliciosas notas de baunilhas, uvas verdes e o toque do bourbon. Equilibrada e com absurda drinkablity.
_
País: Estados Unidos
Estilo: American Sour Ale (Wheat Wine)
Quando beber: sempre
Harmonização: fois gras with caramelized apples
_
The Bruery
A The Bruery é uma das mais criativas cervejarias americanas. Adotando como base a escola belga especializou-se em cervejas experimentais através da  larga utilização de cepas selvagens de leveduras, bactérias (Pediococcus e Lactobacillus) em cervejas via de regra envelhecidas em barris de carvalho. O responsável por isso chama-se Patrick Rue que desde 2008 vem comandando esse laboratório cervejeiro em Placentia na região metropolitana de Los Angeles. Foi a primeira cerveja deles que degusto e justificou plenamente a fama.
Avaliação  
Na taça apresentou uma coloração dourada escura, turva e com um creme branco denso de grande formação, peristência e laços.
Aroma intenso e muito complexo. Primeiro impacto vem do carvalho com muita baunilha e notas de coco. Aos poucos aparecem notas frutadas bem ácidas (uva verde, grapefruit, limão e pêssego) e um carvalho que remete ao bourbon. Para complementar uma certa picardia de pimenta branca com o álcool esquentando levemente.
Na boca as sensações se repetem com uma base de malte bem leve, frutas no início mais doces, muita baunilha e algumas notas cítricas. O bourbon faz-se mais presente trazendo consigo uma certa picardia e esquentando a degustação. O final é levemente ácido (uvas verdes) com um toque amargo e picante. O aftertaste é profundo e persistente sem ser agressivo com notas de baunilha e notas adocicadas de frutas.
Corpo médio, carbonatação evidente e altíssima drinkability.
Definitivamente esse é o meu estilo de cerveja. Absurdamente deliciosa.
Recommended Posts

Leave a Comment