Wäls Petroleum – 3,7

 

Um dos maiores baratos das cervejarias artesanais são as cervejas colaborativas. Unidas duas visões, duas expertises de mestres cervejeiros e duas estruturas, via de regra o resultado é altamente compensador. E foi assim que chegou-se à essa bela Wäls Petroleum. A receita original é da cervejaria caseira Dum de Curitiba com sua famosa Dum Petroleum e a versão contou com o toque mineiro e a estrutura industrial da Cervejaria Wäls de Belo Horizonte. A ideia é reproduzir o sucesso da cerveja original em uma estrutura maior de produção e distribuição. O resultado: uma Russian Imperial Stout complexa e potente, uma cerveja para degustadores. Mas o que mais me impressionou foi seu impacto visual: belíssima. Realmente sua apresentação na taça impressiona.

País: 
Brasil (Belo Horizonte)
Estilo: Russian Imperial Stout
Quando beber: acompanhando sobremesas
Harmonização: queijo feta (para mineiros) ou sobremesas de chocolate

Cervejaria Wäls
Fundada em 1999 na região da Pampulha em Belo Horizonte, seus idealizadores são dois irmãos: Tiago e José Felipe Carneiro. Inicialmente uma fábrica de suco, a Wäls pouco a pouco mudou o foco do negócio e vem se firmando como uma das maiores cervejarias artesanais do país.
Avaliação    
Confesso que estava com grande curiosidade em provar essa cerveja colaborativa. E o que mais impressionou foi o impacto visual dessa cerveja: perfeição.
A apresentação começa muito bem com uma estilosa garrafa de rolha e um belo rótulo.
Ao vertê-la na taça o espetáculo se acentua com líquido absolutamente negro, opaco, intenso, já mostrando sua textura oleosa. O creme que se forma é denso, de boa formação, de coloração muito bonita bem escura com nuances arroxeados (o mais escuro que já vi), de média persistência e com bons laces. Uma das cervejas mais bonitas que já degustei.
O aroma apresenta muitos maltes torrados, notas de chocolate belga, café e algo de azeitona preta.
Na boca a intensidade dos 12% de álcool fazem-se presentes, esquentando a degustação e deixando deliciosas sensações licorosas. O malte torrado domina as sensações complementado com notas amadeiradas, café e chocolate amargo. O final tráz um leve amargor herbal e algumas notas de azeitona preta que permanecem no aftertaste, o que considerei o calcanhar de aquiles da cerveja. Aftertaste esse profundo com notas de chocolate amargo e café.
O corpo é licoroso, a carbonatação baixíssima e a intensidade das sensações altas.
Uma excelente, complexa e agressiva cerveja.
www.wals.com.br

 

Recommended Posts

Leave a Comment